10.4.13


E pela luz de uma vela posta sob a mesa,
apareceu diante de mim uma sombra
Estava escrevendo com a cabeça baixa
e a ergui para me deparar com pequenos olhos brilhantes
que me olhavam com mais surpresa que eu
Esta criatura de ar ingênuo se curvou
e deixou seus cabelos loiros e longos caírem sobre a mesa
enquanto suas mãos pálidas tocavam meu rosto
Senti um calafrio e uma sensação nunca experimentada antes
Num impulso, beijei seus lábios com fervor
A garota parecia ter os mesmos desejos que os meus
e me fez sair de perto da mesa e ir para o sofá, próximo dali
Nos sentamos e envolvemo-nos uma na outra até nos faltar respiração
Em instantes estávamos sem roupas,
cobertas apenas de paixão
Quando me dei conta de mim e do que estava acontecendo,
aquela garota partia e eu voltava para a mesa sem saber o que pensar
Parece que ela sabia bem o que queria fazer
E as paredes riam da criatura ingênua que restara naquele lugar.