10.4.13

Esperar até o fim

Em cima de uma cama, sem estar doente,
porém, derrotado pela própria vida,
deixei meus sonhos debaixo de uma velha mala.
Não pude correr mais quando meu corpo começou a me fazer cobranças.
Sei que sou apenas mais um sonhador,
com causas esperando que não sejam derrotadas
e amores que não puderam acabar com minha solidão.
Mas poderia ser eu então o sonhador que realizou seus desejos,
aquele que não teve ideias que ficaram somente na base de planejamento,
mas ideias que se tornaram realidade.
Não pude ser este homem.
Minhas vontades foram destruídas em pedaços a frente de meus olhos em lágrimas.
Os versos que escrevi em um diário,
não tem nenhum valor para os homens que estão a minha volta.
E só tenho esta mala.
A mala que quando eu tiver forças para me levantar,
estará novamente cheia de esperança
e com sonhos não em baixo de si,
mas dentro de seu interior agora vazio.
Isso também por enquanto é somente um sonho.
E quando durmo,
outra vez somente sonhos.
E sonho,
até não poder sonhar mais.