10.4.13

O poeta e o pêndulo

O pêndulo do relógio está a bater
e tudo o que me resta é escrever
Escrever até que não tenha mais forças
porque ideias eu sempre vou ter
Apesar deste som às vezes me irritar,
é minha única companhia e para sempre irei lhe amar
Não há em minha casa noites silenciosas graças a este barulho
e para fugir das vozes de fora, encontro nele um refúgio
Ele pode ser até mesmo a minha inspiração;
quando me perco nele e me envolvo em uma nova emoção
E enquanto eu puder escrever,
ninguém poderá me deter
Pois tenho caneta, lápis, papel
e ideias que poderiam me levar ao céu
E pela eternidade,
o pêndulo será minha única verdade.