30.10.16

Declínio

É insuportável fingir que está tudo bem.
Eu sorrio mas, em poucos segundos, volto a ter essa cara de quem perdeu alguma coisa.
A verdade é que perdi realmente; perdi a mim mesma.
O pior é saber que perdi para você.
E o orgulho e frieza que acumulei desesperadamente em alguns anos não me deixam aceitar que perdi.
As horas se vão e eu finjo que você também.
As paredes zombam de mim e sinto que estou sendo observada pela solidão.
Eu preferia estar absolutamente morta e não poder correr atrás dos meus sonhos e de ninguém a estar viva pela metade; onde posso correr por qualquer coisa e simplesmente não consigo.
Meus pés criaram raízes no meu quarto; o lugar que foi o mais perto que pude encontrar de paz.
Eu sei que é mais uma ilusão; que tentar esquecer não significa que eu queira e, somente por isso, é impossível deixar pra lá.
Eu nunca fui boa em cumprir as promessas que fiz para e sobre você mas, eu luto ainda para meus sorrisos durarem mais que alguns segundos em nome de uma promessa: um dia repousará em mim a lembrança torpe de ter te dito adeus.
E então, você não poderá mais guardar a melhor parte de mim; vou recuperá-la, mesmo que isso seja o seu fim.