4.3.17

As pessoas dizem estar sozinhas mas, como podem se não há presença mais austera que a da solidão?
Hoje ela me visitou novamente. Tem se tornado rotina devido a minha inconsequência, eu acho.
Não havia nada de diferente ou notável; era apenas eu em meu quarto buscando a paz no vazio como em outro dia qualquer. Entretanto tudo mudou quando ela entrou - apesar da porta e janela estarem fechadas.
Então a dor veio em forma de memórias e o vazio agora era abandono.
Abandonados por mim mesma, meus pensamentos não têm quem os controle e ela vem para avisar que preciso tomar uma atitude.
Então me revolto por ser obrigada a domar esses filhos cujas atitudes não são minhas mas são por culpa minha e, portanto, a responsabilidade sobre elas também é.
A solidão me julga e decide que preciso voltar a agir como aqueles que não abandonam seus filhos antes que resolva me punir.
Ainda hoje tenho de voltar a aprender com eles como ignorar os defeitos e aceitá-los apenas por existir.
Espero que não seja como da outra e outra e outra vez.
A solidão está prestes a se cansar de mim.